PSB quer dar a Marina mesmo peso de Campos na convenção do partido

Por Painel

Chapa de duas cabeças O PSB quer dar a Marina Silva o mesmo peso de Eduardo Campos na convenção que o lançará à Presidência, neste sábado. Os dois aparecem em tamanho idêntico nas peças de propaganda aprovadas ontem pela coordenação da campanha. Um dos jingles repete, no refrão: “Eu vou de Eduardo e Marina”. Pouco conhecido, Campos vai explorar ao máximo a imagem da ex-senadora para tentar reduzir a distância que o separa dos favoritos Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB).

Olho no lance A convenção deve ser bem mais rápida que o normal. A meta é acabar tudo até 11h30, a uma hora e meia de Brasil x Chile. “Se atrasar, vai todo mundo embora antes dos discursos…”, diz um organizador.

Com quem andas No domingo, Campos receberá apoio do nanico PSL, comandado pelo cartola de futebol Luciano Bivar. Ex-dirigente do Sport, ele admitiu ter pago um lobista para que o volante Leomar fosse convocado pela seleção em 2001.

Por qué no te callas? Pivô do tumulto na convenção do PP, o deputado Jair Bolsonaro (RJ) voltou a exaltar a ditadura em discurso contra o apoio a Dilma. A fala constrangeu partidários de Aécio.

Deixa quieto Bolsonaro acusou o governo de distribuir livros didáticos em que o “presidiário José Dirceu” figura como “ídolo” e “nosso querido Paulo Maluf” é atacado. Maluf, procurado pela Interpol, não esboçou reação.

Dividir para reinar O Planalto recebeu parlamentares do PTB insatisfeitos com o apoio a Aécio. Eles acalentam o sonho de obter cargos de segundo escalão do governo caso Dilma se reeleja.

JG

Caiu da cama Gilberto Kassab foi o primeiro político a chegar à convenção do PSD. Antes das 9h, ele aproveitava o auditório praticamente vazio para treinar o discurso que faria horas depois.

O dono do mar Amigos de José Sarney (PMDB-AP) acham que ele agora vai se dedicar a um antigo projeto: candidatar-se à presidência da Academia Brasileira de Letras. O senador veste o fardão de imortal desde 1980.

Páginas da vida O ex-presidente também tem indicado que vai escrever, finalmente, o seu prometido livro de memórias.

Nas ruas Três meses mais velho que Sarney, o senador Pedro Simon (PMDB-RS) tem planos mais agitados para a aposentadoria. “Vou viajar o Brasil, dar palestras e conversar com a gurizada”, anima-se. Ele também não disputará um novo mandato.

Culpa deles Ao cruzar com Miro Teixeira (Pros-RJ) no Congresso, Ana Amélia (PP-RS) puxou assunto sobre sua desistência de disputar o governo do Rio na chapa de Campos e Marina. “Saiu da raia?”, perguntou a senadora. “Fui saído”, respondeu Miro.

Ctrl + C O deputado Edmir Chedid (DEM) apresentou projeto na Assembleia Legislativa para criar uma política cultural paulista. Para poupar esforço, copiou uma norma da Bahia —mas se esqueceu de trocar o nome do Estado no texto.

Ctrl + V Um item da proposta fala em “estimular a discussão ampla de temas relevantes para a cultura da Bahia”, que passará a ser incentivada pelo “Fundo de Cultura da Bahia”. O Estado nordestino é citado mais 11 vezes.

Afinaram Pedro Tobias (PSDB) acusa colegas da Assembleia de não terem sido “firmes” no Conselho de Ética ao discutir o caso do petista Luiz Moura, acusado de se reunir com o PCC. “Não tivemos coragem de fazer nada.”


TIROTEIO

“A decisão antidemocrática do presidente Ciro Nogueira evidencia que Dilma Rousseff não tem o apoio real do PP.”

DO GOVERNADOR ALBERTO PINTO COELHO (PP), de Minas Gerais, sobre a decisão do comando do partido em favor da aliança com Dilma Rousseff.


CONTRAPONTO

Classificação indicativa

Durante sua internação no InCor, em 2001, o governador Mario Covas se distraía assistindo a filmes no videocassete do quarto. Responsável pela segurança, o então tenente Marcelo Salles era encarregado de ir à locadora mais próxima. Vez ou outra, sugeria filmes ao tucano.

Certa noite, levou ao governador uma fita do épico romano “Gladiador” (2000). No dia seguinte, passou para buscar a fita. Impressionado com as cenas de violência, Covas fez uma recomendação bem-humorada:

—Veja se não voou um braço ou uma perna de dentro da TV para baixo da cama!