Lula evita ataques diretos, mas orienta petistas a minar imagem de Campos

Por Painel

Façam o que eu digo Apesar de evitar ataques diretos a Eduardo Campos (PSB), Lula tem orientado petistas a minar a imagem do ex-governador em Pernambuco. Na sexta-feira passada, ele instruiu aliados a martelar que os principais avanços do Estado se devem ao apoio do governo federal. O ex-presidente também quer que os petistas repitam aos eleitores pernambucanos que Campos se dizia amigo de Dilma Rousseff e só passou a atacá-la após assumir sua candidatura ao Planalto.

Não o que eu faço A estratégia de terceirizar os ataques tem um objetivo claro: em caso de segundo turno contra Aécio Neves (PSDB), Lula se encarregará de pedir apoio ao pernambucano.

Papai Noel O ex-presidente disse a aliados que ia presentear Campos com a vice de Dilma, mas ele não teve paciência para esperar. Faltaria combinar com o PMDB.

Pegou mal Em conversas reservadas, o presidenciável do PSB fez duras críticas ao novo governador João Lyra Neto, seu aliado, pela violência da PM na desocupação do Cais José Estelita, no Recife.

Família desunida Prima do ex-governador, a vereadora Marília Arraes (PSB) esbanjou simpatia e desejou “boa sorte” ao encontrar Aécio na capital pernambucana.

Melhor não Campos indicou que não vai à convenção do PSB paulista que selará o apoio ao tucano Geraldo Alckmin, contra a vontade de Marina Silva. Ele marcou uma gravação com Luciana Gimenez no mesmo horário.

APODE1906PAINEL

Quase lá Gilberto Kassab telefonou para o presidente do PT, Rui Falcão, e reforçou o convite aos petistas para a convenção do PSD, dia 25.

Tamo junto Saíram lado a lado, no “Diário Oficial” de ontem, os editais das convenções de PT e PSD. Para Falcão, a coincidência é um recado a quem duvida do entrosamento entre as duas siglas.

Ponta de lança Aecista de carteirinha, o novo governador de Minas, Alberto Pinto Coelho, assumiu a frente nas articulações para tirar o PP do palanque de Dilma.

Tem seguro O mineiro defende a neutralidade como “decisão mais sábia”. Ele argumenta que o partido adotou esta posição em 2010, e mesmo assim foi convidado a integrar o governo petista.

Troca-troca A campanha de Dilma recebeu garantias da cúpula do PR de que o partido vai apoiá-la. Em troca, o PT promete emplacar Alfredo Nascimento como vice de Eduardo Braga (PMDB) na eleição do Amazonas.

Tente outra vez Acusado de plagiar os petistas em São Paulo, Duda Mendonça mudou o nome da coligação de Paulo Skaf (PMDB) para “São Paulo quer o melhor”. “Precisa ver se o PT concorda”, brinca o marqueteiro.

No banco Auxiliares de Dilma estão tentando fugir da viagem ao Amapá na próxima segunda, dia de jogo da seleção. Quem foi ao Paraná nesta semana perdeu o primeiro tempo de Brasil x México.

Aqui se paga Pressionado pelo PRB, o governo paulista incluiu o indicado de Celso Russomanno na lista tríplice para a chefia do Procon. Se ele for nomeado, o ex-deputado apoiará Alckmin.

Diário do Rio A pesquisa Ibope sobre a disputa pelo governo do Rio mostrou que Dilma lidera no Estado, com 36%. Aécio, que ainda busca um palanque fluminense, tem 15%. Campos, 8%.

Baixinhos Anthony Garotinho (PR), que lidera a corrida ao Palácio Guanabara, não lançará candidato ao Senado. Vai fechar “aliança branca” com Romário (PSB).

TIROTEIO

“Dilma tentou desviar o foco para o volume morto do Cantareira para não ter de encarar o peso morto do Padilha nas eleições.”

DE ALBERTO GOLDMAN, vice-presidente do PSDB, sobre fala da petista em referência a Geraldo Alckmin, de que SP não pode confiar em volume morto.

CONTRAPONTO

O ministério do Chico

Chico Buarque, que comemora hoje 70 anos, sempre manteve um olhar atento à política. Em 2004, preocupado com os tropeços do governo Lula, sugeriu a criação de uma nova pasta: o “Ministério do Vai Dar Merda”.

—A cada decisão importante, esse ministro seria chamado. Se o governo decide recadastrar idosos, o Lula pergunta para ele: “Vai dar merda?” —explicou, em conversa com o jornalista Rodolfo Fernandes.

A missão do auxiliar seria simples, segundo o artista:

—O ministro analisa o caso, vê que os velhinhos vão ser humilhados nas filas e responde: “Vai dar merda!”