Assembleia de SP paga salário de deputado para 298 servidores ou inativos

Por Painel

Supersalários.sp A Assembleia Legislativa de São Paulo paga a 298 funcionários salários iguais ou superiores ao teto determinado pela Constituição. Pela lei, ninguém deveria receber mais que R$ 20.042,34, subsídio dos 94 deputados estaduais. No entanto, as gratificações têm inflado os contracheques de assessores e ocupantes de cargos comissionados. Incluindo benefícios extras, como auxílios e licenças-prêmio, o número de funcionários que receberam mais que o teto chegou a 455 em abril.

Afortunados Os maiores salários, de R$ 26.589,68, são pagos a 76 procuradores da Casa. A Assembleia sustenta que eles têm direito ao teto pago pelo Ministério Público.

Show do Milhão Somando indenizações por férias e licenças vencidas, uma servidora aposentada chegou a receber R$ 132 mil em abril. Ela atuou na liderança do DEM.

Pago sim A Assembleia afirma que os supersalários, recém-divulgados na internet, estão dentro da lei. Diz que reduziu gastos e que não divulga os nomes dos servidores por ordem da Justiça.

Linha da cintura A cúpula do PT ficou muito irritada com a reação de Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB) aos palavrões contra Dilma Rousseff no Itaquerão. Os dois escolheram a mesma expressão: disseram que ela “plantou o que colheu”.

Outra face O presidente Rui Falcão afirma que o partido não festejou quando o tucano foi alvo de ofensas no Mineirão, em 2008. “Essa baixaria acaba se voltando contra quem a incentiva”, diz.

Xarope nele Aliado de Campos, o governador de Pernambuco, João Lyra Neto (PSB), não discursou ao lado de Dilma no Recife. “Ele está com uma grande dor de garganta”, justificou a petista.

Olho no lance Enquanto Dilma falava, muitos petistas preferiam acompanhar Holanda x Espanha no celular.

Recordar é viver Quando Aécio chegar à convenção do PSDB, hoje de manhã, o telão exibirá um vídeo com os principais momentos de sua vida política. O filme começa em 1981, quando ele foi assessorar o avô Tancredo.

Venho de longe O objetivo é mostrar que o tucano é “novo, mas não novato”. A campanha teme que os petistas tentem apresentá-lo como um aventureiro.

Desfalque Convidado a discursar, o prefeito de Manaus, Arthur Virgílio, não vai à convenção. Ele diz que não conseguiria voltar a tempo de assistir ao primeiro jogo da Copa na Arena Amazônia.

Sou você ontem O senador Randolfe Rodrigues, que desistiu de concorrer à Presidência por causa das divisões no PSOL, diz que agora entende Heloisa Helena. A alagoana só espera o registro da Rede para se desfiliar.

O samba acabou Randolfe, que não conseguia pontuar nas pesquisas, afirma que se libertou de um peso ao desistir. Mas diz que sentirá saudade das viagens ao Rio, onde costumava ser recebido com samba e chope.

Veja bem A assessoria de Marta Suplicy culpou a conexão lenta por sua “infelicidade” na estreia do Brasil na Copa. Assim que a Croácia fez o primeiro gol, ela divulgou foto em que aparece vibrando no estádio. O clique teria sido feito antes do início do jogo.

Visita à Folha Luis Campos Ferreira, secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e Cooperação de Portugal, visitou ontem a Folha. Estava com Francisco Ribeiro Telles, embaixador no Brasil, Paulo Lourenço, cônsul-geral em São Paulo, Ives Gandra Martins, jurista, e Camila Vech, assessora de comunicação.


TIROTEIO

“No início era o mesmo projeto, mas o PT não é mais o mesmo de 1989. Nos trocou por Sarney, Maluf e Eduardo Cunha. Que pena!”

DE ROBERTO AMARAL, vice do PSB e ex-ministro de Lula, sobre o petista defender que Eduardo Campos modere as críticas por ter integrado o governo.


CONTRAPONTO

O Maluf do bem

Salvador Zimbaldi, o presidente do diretório paulista do recém-criado Pros, foi convidado a discursar em um ato da campanha de Paulo Skaf (PMDB) ao governo do Estado. Como de praxe, citou todos os políticos que se espremiam no palanque. Em meio às autoridades, soltou:

— Queria saudar o meu caro Maluf…

Em meio a caras de espanto, Zimbaldi explicou que se referia a Lúcio Maluf, secretário-geral do PDT paulista.

—Calma gente, esse nosso Maluf é o Maluf do bem!

Paulo Maluf (PP), o deputado e ex-prefeito procurado pela Interpol, apoia o candidato Alexandre Padilha (PT).