Para lançar campanha em MG, Aécio evocará memória de JK e Tancredo

Por Painel

JK e Tancredo Aécio Neves vai evocar hoje a mística dos presidentes Juscelino Kubitschek e Tancredo Neves para lançar sua campanha em Minas Gerais. Na véspera da convenção do PSDB que formalizará a candidatura ao Planalto, ele fará uma aparição estratégica em São João del-Rei, berço político do avô. Da sacada do Solar dos Neves, dirá que os mineiros têm a chance de voltar a eleger um presidente pelo voto direto depois de 59 anos. A seu lado estará Maria Estela, filha de JK.

Clãs unidos Maria Estela é tucana de longa data. Em 2006, foi candidata a vice-governadora do Rio na chapa do prefeito Eduardo Paes (PMDB), então no PSDB.

Nós somos teu O mineiro será lançado amanhã, em São Paulo, com o mote “Aécio, a gente quer você”. A ideia é apresentá-lo como o escolhido da oposição e isolar Eduardo Campos (PSB).

Parlatório Estão previstos discursos de até dez autoridades, incluindo FHC, Geraldo Alckmin e José Serra. Haverá um curralzinho VIP para governadores e aliados com maior força política.

Massas Os tucanos esperam 5.000 pessoas no evento. Um telão de 64 metros de comprimento será montado no local, um centro de convenções na zona norte de SP.

Eu tentei Eduardo Campos diz que procurou Aécio no fim de semana, para saudá-lo pelo nascimento dos gêmeos, mas o celular do tucano estava fora de área.

Torpedos Em seguida, o pernambucano enviou um SMS com votos de felicidade em nome de toda a família. Ele conta que Aécio agradeceu, também por escrito.

Anti-Chuchu Paulo Skaf vai provocar Alckmin com o jingle feito para a convenção do PMDB paulista. “Chega de sofrimento / Chega de andar para trás”, diz a música.

Direita… As diretrizes do programa de governo de Alexandre Padilha (PT) terão acenos ao eleitor conservador, mais avesso ao partido.

… volver Na segurança pública, por exemplo, o texto dará mais ênfase à eficiência das polícias do que à questão social. Haverá também um forte elogio ao agronegócio.

Tô nem aí As vaias e os xingamentos a Dilma foram ouvidos com clareza no camarote VIP do Itaquerão. Ela procurou demonstrar indiferença, segundo auxiliares.

Ouh là là! Os palavrões constrangeram convidados estrangeiros. Michel Platini, o ex-craque francês, foi um dos mais escandalizados ao entender os gritos da torcida.

Não, obrigado Lula, que preferiu ver o jogo na TV, foi o maior entusiasta da ideia de construir o Itaquerão.

Charge 13.jun.2014 Folhapress

Bom Senso FC A gafe pode não ter influenciado as vaias. Mas Dilma vestiu verde, cor do Palmeiras, para ir ao estádio do Corinthians.

Alô, Felipão Na noite da véspera do jogo, Dilma ligou para a concentração brasileira e desejou boa sorte a Luiz Felipe Scolari. Aécio já havia conversado com o treinador.

Relaxa e goza Aos 20 min, quando a seleção perdia por 1 a 0, a ministra Marta Suplicy publicou uma foto sorrindo no Instagram. “Brasil! Tudo lindo, calmo e patriótico!”, escreveu, na legenda.

Amendoim Com a Croácia ainda à frente, o ex-governador José Serra cornetou o Brasil no Twitter. “Perdemos dois gols feitos”, reclamou.

Não teve Copa A Polícia Federal não instalou TV na cela em que Paulo Roberto Costa, o ex-diretor da Petrobras suspeito de corrupção, voltou a ficar preso em Curitiba.


TIROTEIO

“Alguns segmentos não entendem o quanto o país está mudando. O reconhecimento deste governo virá nas urnas, não nos estádios.”

DO DEPUTADO PAULO TEIXEIRA (PT-SP), sobre insultos endereçados à presidente Dilma Rousseff no jogo de abertura da Copa, ontem, em São Paulo.


CONTRAPONTO

Padrão Fifa, mas nem tanto…

Em palestra a empresários na terça-feira (10), em São Paulo, o presidenciável Eduardo Campos (PSB) pegou carona nas manifestações contra a Copa para defender que o governo preste serviços “padrão Fifa” à população.

Entre uma crítica e outra à presidente Dilma Rousseff, o ex-governador de Pernambuco se empolgou:

—Não se consegue uma educação padrão Fifa, uma saúde padrão Fifa, se não tivermos uma mudança na política, uma política…

Depois de uma pausa para refletir, continuou:

—É… A política não pode ser padrão Fifa!