Diante da ascensão de Lewandowski, Governo teme PEC da Magistratura

Por Painel

Boi na linha O governo avalia que a ascensão antecipada do ministro Ricardo Lewandowski à presidência do STF (Supremo Tribunal Federal) representa um risco maior de aprovação da chamada PEC da Magistratura, proposta de emenda que implode o teto constitucional de remuneração do serviço público. O ministro tem feito a defesa enfática da medida, que tramita no Senado. “É o pior momento de relações dele com o Planalto em dois anos”, observa um auxiliar de Dilma Rousseff.

Desce Dois ministros do STF apostam que, qualquer um do colegiado que seja sorteado para cuidar da execução das penas dos condenados no mensalão vai revogar a resolução de Joaquim Barbosa que determina que decisões da Vara de Execuções Penais sejam revistas pelo STF.

Adolar

Pombo-correio Diante do ataque de hackers ao seu sistema de e-mails, o Itamaraty distribuiu aos funcionários a orientação de só encaminharem papéis importantes por pen drive e disquete. A menção a esse dispositivo, que nem roda nos computadores mais novos, virou piada entre os diplomatas.

Platinado Em telefonema interceptado pela Polícia Federal na Operação Lava Jato, a atendente de uma operadora de cartão de crédito diz a Alberto Youssef que ele havia excedido em R$ 50 mil seu limite de despesas. O doleiro rebate que costumava pagar faturas de até R$ 120 mil.

Sob sigilo Entre os documentos apreendidos pela PF no escritório de Paulo Roberto Costa está uma planilha em que um grupo de maçons ligados à Petrobras pede patrocínio de R$ 2,2 milhões à estatal para realizar uma série de encontros pelo país.

Em família O ex-petista André Vargas (PR) pediu que Youssef se encontrasse com seu irmão Leon, no fim do ano passado. A reunião foi marcada por mensagem de texto para 23 de dezembro, em um escritório do doleiro.

Altas… Ao dizer que adversários tentaram impedir a aliança de Alexandre Padilha (PT) com Paulo Maluf (PP) até a madrugada, o presidente do PT-SP, Emidio de Souza, não usou figura de linguagem.

… horas Petistas souberam que o deputado do PP foi procurado tarde da noite por tucanos, que sinalizaram que as portas do PSDB continuavam abertas à sigla —como queria parte da bancada pepista avessa a Maluf.

À frente O PSDB paulista usará o programa de combate às drogas Recomeço nos comerciais de TV que vão ao ar a partir de segunda-feira para tentar vender a imagem de que a gestão Geraldo Alckmin tem marcas inovadoras. O próprio governador aparecerá apresentando a ação.

Atrás Em outras peças, os tucanos exaltarão números da gestão, como quilômetros de rodovias duplicados e atendimentos de saúde. Com isso, pretendem dar uma dimensão de grandeza ao Estado e reforçar a ideia de que é necessário alguém experiente para administrá-lo.

Gota… Dirigentes do PR paulista se irritaram com a demissão da chefe da gabinete da subprefeitura do Butantã, que havia sido indicada pelo partido. A sigla diz que o clima “azedou” com o governo Fernando Haddad (PT).

… d’água Um integrante da sigla relata que a funcionária chegou a aparecer para trabalhar ontem e soube que havia sido exonerada.

Palanque O PMDB do Ceará obteve decisão na Justiça liberando a realização de eventos de pré-campanha de Eunício Oliveira ao governo. A sede do partido havia sido alvo de investigação por suspeita de campanha antecipada, na quinta-feira.


TIROTEIO

“Suas falas sobre água têm tanta propriedade que preocupam. É só ver o brilhantismo com que administra o setor elétrico e a economia.”

DO DEPUTADO VAZ DE LIMA (PSDB-SP), sobre ‘palpite’ de Dilma, relatado por empresários, de que os paulistas enfrentarão racionamento de água neste ano.


CONTRAPONTO

Taxa de retorno

No ato em que formalizou o apoio do PP à candidatura do petista Alexandre Padilha ao governo do Estado, o deputado Paulo Maluf, presidente do partido, fez troça com o governador Geraldo Alckmin (PSDB), com quem rompeu para apoiar o petista na disputa por sua sucessão.

Ao cumprimentar os prefeitos que compareceram ao ato, escolheu um dos alvos preferidos pelos petistas para atacar os tucanos:

— Tenho pena é do prefeito de Presidente Venceslau, veio de 600 quilômetros de distância, pagou muito pedágio! — alfinetou, arrancando risos do plenário.