Dilma e Lula devem aparecer juntos antes de convenções nos Estados

Por Painel

Campanha na estrada Depois da viagem prevista para esta sexta-feira a Pernambuco, Dilma Rousseff e Lula devem aparecer juntos ainda antes das convenções em Minas, Rio Grande do Sul, São Paulo e Paraná. Não por acaso, as duas primeiras agendas conjuntas serão nas bases políticas dos dois adversários da presidente, Eduardo Campos (PSB) e Aécio Neves (PSDB). Na escala pernambucana, Dilma e o antecessor devem fazer críticas “cirúrgicas” a Campos, segundo estrategistas da campanha à reeleição.

Bolada O Planalto ficou contrariado com três ataques desferidos por Campos em Dilma nos últimos dias: a acusação de “ditadura” do setor elétrico, o apelido de “madrinha da inflação” e a insinuação de que há intervenção no Banco Central.

Com farofa Em meio às tratativas em São Paulo e Minas, um pessebista define a dificuldade de conciliar todos os interesses: “É como um peru em cima de um pires: vai sobrar de fora uma asa, uma coxa, o pescoço…”.

Pode vir O grupo político de Campos em Pernambuco diz não ter receio de o PSDB lançar Daniel Coelho ao governo. Acham que ele tira mais votos de Armando Monteiro (PTB) do que do pessebista Paulo Câmara.

Vertical A candidatos do PT a governador, Lula tem defendido que as campanhas estaduais deverão reproduzir a polarização nacional com o PSDB e seus tradicionais aliados. Nessas conversas, o discurso dos “fantasmas do passado” tem feito sucesso.

 2 em 1 Nas conversas com aliados de Alckmin, Gilberto Kassab tenta valorizar seu passe: o ex-prefeito tem dito que, se fechar com o PSDB, ainda leva o PV para a chapa.

 Lugar ao sol O presidente do PDT, Carlos Lupi, conversou na segunda com Lula sobre apoio da sigla a Alexandre Padilha em São Paulo. Diz que topa compor a chapa desde que indique o vice.

Pianinho Tanto a oposição quanto governistas rebeldes ficaram decepcionados com as ações de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) diante da CPI mista da Petrobras. “Ele foi neutralizado pelo Planalto”, dizem os deputados, que queriam usar a comissão para atacar o governo.

 Largada O PSDB tem prontos mais de 200 requerimentos para apresentar ao grupo, de quebras de sigilo à convocação de políticos como André Vargas (ex-PT).

Na chincha A base aliada ficou irritada com a recusa de José Jorge em atender ao convite para ir à CPI da Petrobras no Senado. Petistas estudam convocar para uma sessão secreta o ministro do TCU, a quem atribuem o vazamento de informações.

Ajustes Aldo Rebelo (Esportes) comanda nesta quarta-feira a última reunião do Gecopa (Grupo Executivo da Copa de 2014), quando serão afinados os detalhes do centro operacional do governo, que será montado no Rio.

Fiscal Rebelo decidiu que vai acompanhar partidas in loco nas 12 cidades-sede. O ministro vai tentar casar sua agenda com a de Joseph Blatter, presidente da Fifa.

Veredicto A comissão formada pela Executiva do PT paulista volta a se reunir nesta quarta para a analisar o caso de Luiz Moura, acusado de ter participado de reunião com suspeitos de integrar o PCC. A bancada petista aguarda o encontro para definir a linha de ação.

Visita à Folha Rubens Menin Teixeira de Souza, presidente da MRV Engenharia, visitou ontem a Folha. Estava com Maria Fernanda Menin Maia, diretora-executiva jurídica, e José Francisco Siqueira Neto, advogado.


TIROTEIO

 “Os aeroportos e as outras obras da Copa de fato foram feitas no padrão Brasil: estão atrasadas e custaram mais que o previsto.”

Do senador Alvaro Dias (PSDB-PR), sobre fala de Dilma de que os aeroportos devem ter padrão Brasil, e não padrão Fifa como sinônimo de excelência.


CONTRAPONTO

TESTEMUNHO DE FÉ

Em discurso ontem em sessão solene em homenagem a Irmã Dulce no Senado, o ex-presidente José Sarney (PMDB-AP) disse que tinha sido “testemunha” de um milagre da religiosa quando deixou a Presidência, em 1990.

– Eu ia descer a rampa numa situação difícil. Reuni minha família e pus um lenço no bolso para as lágrimas.

Sarney contou que, quando desceu a rampa do Planalto, diante de uma multidão, “sentiu” alguém ao seu lado.

– Olhei e era a Irmã Dulce. Sacudi o lenço como quem se despedia. A multidão, que vinha para me vaiar, começou a aplaudir. Eu dizia: é um milagre da Irmã Dulce!