Dilma terá encontro reservado com presidente do Irã durante a Copa

Por Painel

Diplomacia da bola O Planalto já agendou encontros reservados entre Dilma Rousseff e dez chefes de Estado ou de governo durante a Copa. Entre os confirmados está o presidente do Irã, Hassan Rouhani. Será o primeiro gesto concreto de reaproximação entre o governo brasileiro e o país desde que Dilma assumiu a Presidência. Na campanha de 2010, ela criticou publicamente a condenação da iraniana Sakineh Ashtiani à morte por apedrejamento por manter “relacionamento ilícito” com um homem.

Seletivo O presidente francês, François Hollande, avisou ao Itamaraty que só deve vir ao Brasil caso a França se classifique para jogar as quartas-de-final ou semifinais da competição.

Terminal As seleções e autoridades chegarão no Brasil pelas bases militares dos Estados e serão escoltadas até seus hotéis pelas Forças Armadas, que também farão a segurança desses locais.

Ondas 1 Integrantes do Planalto atribuem a alta de Dilma na pesquisa Ibope ao aumento das campanhas publicitárias na TV dos programas do governo e ao enterro do “volta, Lula”.

Ondas 2 Também apontam que as últimas propagandas do PT conseguiram levar o debate eleitoral para o campo das políticas sociais, favorável a Dilma, e tirar o foco dos dados da economia.

Planilha O governo reagiu aos ataques de Aécio Neves (PSDB) à política nacional de segurança pública. Ministério da Justiça levantou dados para mostrar que Dilma investiu R$ 3,6 bilhões por ano na área, ante R$ 1,2 bilhão por ano de FHC.

Aos 45 Cid Gomes avisou a auxiliares de Dilma que vai esticar até o último momento a definição do candidato do Pros ao governo do Ceará. Insatisfeito com a dificuldade na definição de alianças, o governador quer forçar PMDB e PT a negociarem.

Plantão médico Advogados de José Genoino relatam que a pressão arterial do ex-presidente do PT caiu drasticamente nos últimos dias e alertam para o risco de um AVC. Segundo eles, as condições de alimentação e o acompanhamento médico no presídio da Papuda podem agravar seu quadro de saúde.

#ficaadica Em evento com mais de 500 prefeitos e cerca de 70 parlamentares, Geraldo Alckmin (PSDB) escolheu como companhia no palco o deputado Marcio França (PSB) e o prefeito Marco Bertaiolli (PSD), de Mogi das Cruzes, em um aceno às duas siglas que ele corteja para sua reeleição.

No ponto Entre os deputados presentes no evento para a liberação de emendas, 51 eram estaduais. Um interlocutor lembrou que desde o início da semana a base de Alckmin não consegue quorum suficiente, de 48 deputados, para aprovar um projeto do Executivo na Assembleia.

Vida real Em meio à crise de abastecimento de água no Estado, um dos banheiros do Palácio dos Bandeirantes ficou com as torneiras secas durante o evento de ontem.

APODE2305PAINEL

Fonte O governo diz que não houve desabastecimento no prédio, e que foi curto o período sem água nesse banheiro específico. Afirma que os reservatórios são independentes e que houve sobrecarga em função da cerimônia, que encheu o auditório em que cabem 1.300 pessoas.

Linha direta Ontem foi a vez de Alckmin telefonar para Fernando Haddad (PT) para tratar da greve de motoristas de ônibus. Apesar de não ter abordado diretamente a troca de acusações entre os secretários de ambos, sinalizou que estava mantida a relação de cooperação entre prefeitura e governo.

TIROTEIO

“Aécio poderia sugerir a Alckmin solução para enfrentar roubos, arrastões e linchamentos, que só fazem crescer a insegurança no Estado.”

DO DEPUTADO ESTADUAL LUIZ CLAUDIO MARCOLINO (PT-SP), sobre críticas feitas pelo presidenciável tucano à política de segurança do governo federal.

 

CONTRAPONTO

Se a carapuça servir

No início da semana, Marcos Montes (PSD-MG) flagrou o também mineiro Julio Delgado (PSB) descendo as escadas da chapelaria do Congresso.

De longe, gritou:

—Governador! Governador!

O PSB ainda não decidiu se apoia Pimenta da Veiga (PSDB) ou se lança Delgado ao governo de Minas Gerais, mas o deputado acabou se virando para trás ao ouvir os berros. Montes, cujo PSD apoia o candidato tucano, se espantou:

—Tá doido, sô?!