PT repassou R$ 320 mil a Marcos Valério em 2008 com recursos do fundo partidário

Por Painel

Ao portador A assessoria técnica do TSE recomendou a rejeição das contas do PT em 2008. Entre as irregularidades apontadas está um repasse de R$ 320 mil ao publicitário Marcos Valério com recursos do fundo partidário. O parecer diz que “não foram identificados os documentos fiscais nem a descrição dos serviços prestados” para justificar o repasse. O dinheiro foi depositado na conta da filha do pivô do mensalão, Nathalia Santiago Souza, identificada como procuradora do pai.

 Parcelado Documentos protocolados no TSE registram que o pagamento foi feito em oito parcelas de R$ 40 mil de 28 de março a 22 de dezembro de 2008. A direção petista reconheceu uma dívida de R$ 400 mil com Valério em acordo judicial na 7ã Vara Cível do Distrito Federal.

Conclusão O grupo técnico do TSE recomenda que o PT devolva o dinheiro. Foram encontradas outras irregularidades nas contas do partido em 2008, como R$ 856 mil com “ausência de documentos comprobatórios” de despesas com o fundo partidário.

Outro lado Questionado pela coluna sobre o repasse a Valério, o secretário de Finanças nacional do PT, João Vaccari Neto, respondeu: “Todas as prestações de contas do PT são apresentadas ao TSE conforme determina a legislação em vigor. Todos os contratos do PT com os seus fornecedores obedecem às normas legais e devem ter o seu sigilo fiscal preservado”.

Siga… Não foi por acaso que a Polícia Federal deflagrou nos últimos meses quatro operações que esbarraram em políticos. Delegados viam seu direito de investigação de crimes eleitorais ameaçado pelo TSE.

… o dinheiro As operações Miqueias, Lava Jato, Grande Truque e Ararath atingiram em cheio doleiros e empresários que abastecem candidaturas de diversos partidos e em vários Estados.

Alambrado O governo decidiu ampliar o número de tropas de segurança nas cidades que receberão jogos de Argentina e Inglaterra nos dias das partidas das duas seleções na Copa. O objetivo é evitar conflitos envolvendo barras bravas e hooligans, como são conhecidos torcedores violentos dos dois países.

APODE2205PAINEL

 Valet 1 Ao tomar conhecimento da fala do secretário municipal Jilmar Tatto (Transportes) de que a PM foi passiva diante da greve de motoristas de ônibus, que pararam os veículos nas ruas, o secretário estadual Fernando Grella Vieira (Segurança) reagiu com ironia ao petista.

Valet 2 “É preciso entender que dirigir ônibus não é atribuição de policial militar”, disse à equipe da pasta.

Panos quentes Fernando Haddad telefonou para Geraldo Alckmin pela manhã. Na conversa, acertaram que prefeitura e governo trabalhariam juntos, a despeito das tentativas de politizar a questão, e pavimentaram a reunião entre Grella e Tatto.

Posição Auxiliares do prefeito consideraram que Tatto disse o que era importante ser dito e que houve ªinérciaº da Polícia Militar. Citam que o Ministério Público deu razão ao secretário ao questionar omissão da PM.

 Nem me viu A Secretaria de Segurança Pública ainda não tinha identificado líderes do movimento até o final da tarde. Esperava que a oitiva dos sindicalistas intimados contribuísse para isso.

Check-in Moreira Franco (Aviação Civil) disse à senadora Vanessa Grazziotin (PC do B-AM) que a Infraero vai assumir o comando de todos os aeroportos do interior da Amazônia. Ele disse que os municípios não têm condição financeira de geri-los.

TIROTEIO

Se a direção do PP conseguir apontar uma grande obra do PT que não seja o porto de Cuba, eu apoio a Dilma publicamente.

DO DEPUTADO JAIR BOLSONARO (PP-RJ), sobre a decisão de seu partido de anunciar apoio à reeleição da presidente Dilma Rousseff na próxima semana.

CONTRAPONTO

Ao pé da letra

Durante debate na Assembleia Legislativa de São Paulo sobre um projeto de lei que autoriza a implementação da gestão por organizações sociais em algumas áreas do governo estadual, deputados tucanos discursaram no plenário para criticar o tamanho da máquina pública federal. Atacaram o número de cargos comissionados na União e defenderam um Estado enxuto.

O deputado João Paulo Rillo, líder da bancada do PT, pediu a palavra:

-É verdade que o PSDB defende um Estado enxuto… Enxuto a ponto de faltar água!