Lula articula com PMDB ‘campanha ideológica’ contra oposição

Por Bruno Boghossian

O ex-presidente Lula recebeu os principais caciques do PMDB no Senado nesta segunda-feira (19), em São Paulo, para articular uma ação conjunta entre petistas e peemedebistas na campanha pela reeleição de Dilma Rousseff.

Em uma estratégia para reforçar a aliança nacional encabeçada por PT e PMDB, Lula e os senadores combinaram que a disputa presidencial deve ser marcada por uma “campanha ideológica”: de um lado, estará a chapa que governa o país desde 2011; do outro, estarão “grupos que apontam para o retrocesso”, segundo um dos participantes do encontro.

Foi a segunda vez em sete dias que o ex-presidente se reuniu com senadores do PMDB para tentar consolidar o apoio da sigla a Dilma —não apenas na chapa presidencial, mas também na sustentação da candidatura nos Estados, uma vez que diversas seções peemedebistas ameaçam apoiar aliados de Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB).

O PMDB calcula que terá 19 candidatos a governos estaduais. Segundo os presentes, Lula deu sinais de que só vai se engajar pessoalmente nas campanhas dos aliados que estiverem realmente “comprometidos” com a reeleição de Dilma.

Em um encontro de cerca de três horas, Lula e os senadores passaram a limpo a situação das relações entre PT e PMDB nos Estados e no Distrito Federal, listando alianças e locais onde as duas siglas estarão em lados opostos.

Os senadores relataram que o petista está “envolvidíssimo” na tarefa de construir palanques fortes para Dilma e chegou a citar de cabeça a situação das chapas em cada um dos Estados.