PSB define palanques de Campos em São Paulo e Minas na próxima semana

Por Painel


Café, leite e rapadura
 O PSB deve definir na semana que vem quais serão os palanques de Eduardo Campos em São Paulo e Minas Gerais. Embora as duas negociações corram em paralelo, uma não está condicionada à outra. A tendência é a sigla lançar o deputado federal Júlio Delgado ao governo de Minas e romper acordo prévio com o PSDB. Em São Paulo, embora tenha crescido o grupo favorável à aliança com Geraldo Alckmin, Campos ainda não está convencido de que este é o melhor arranjo.

Ausência O PSB não comparecerá, por exemplo, ao pré-lançamento da chapa do tucano Pimenta da Veiga, marcada para segunda-feira.

Plano B Diante da indefinição em São Paulo, emissários de Campos procuraram Paulo Skaf (PMDB) em mais de uma ocasião nas últimas semanas em busca de aproximação entre as duas siglas.

De olho Michel Temer (PMDB) tomou conhecimento dos encontros. Skaf disse ao vice-presidente que gostaria de ter o apoio do PSB, mas assegurou que a negociação se resume à eleição estadual e que fará campanha para Dilma Rousseff.

No centro Aécio Neves (PSDB) e Campos acertaram a participação no programa “Roda Viva”, da TV Cultura. O pessebista será o entrevistado no dia 26 e o tucano, no dia 2 de junho, ambos ao vivo. Dilma ainda não respondeu ao convite da emissora.

Após o bip Prefeitos de todo o país foram bombardeados com mensagens de voz no celular assinadas pelo PT nacional justificando a ausência de Dilma na Marcha Nacional dos Prefeitos, realizada em Brasília nesta semana, à qual compareceram os candidatos de oposição.

Blocão O DEM ainda não formalizou apoio a Aécio porque pretende anunciar de uma só vez a aliança nacional e as dos Estados onde estará junto com os tucanos. Tenta resolver ainda pequenas pendências em Goiás, no Pará e no Rio de Janeiro.

Jogo jogado Pelo tom do almoço entre o presidenciável tucano e líderes do partido ontem, democratas já dão como certo que o senador José Agripino (RN), presidente da sigla, não será candidato a vice na chapa do mineiro.

Cartolas… No jantar que ofereceu a cronistas esportivos, na quinta-feira, Dilma se mostrou interessada em opiniões sobre como valorizar o futebol brasileiro. “Temos novos estádios. Como motivar as famílias a ir ver futebol, como ocorre na Alemanha, Inglaterra e Espanha?”, questionou a presidente.

apode1705painell

‌… na fogueira As recomendações dos jornalistas foram do combate à violência a uma completa reorganização dos campeonatos, valorizando os clubes, os jogadores e os torcedores. Para isso, apontaram a necessidade de tirar o controle das competições da mão dos cartolas.

Cara a cara Apesar de desistir do projeto de lei que pune “black blocs” em protestos, o governo federal entende que as polícias deverão coibir a participação de mascarados nos atos. O argumento é o inciso IV do artigo 5º da Constituição, que garante a livre manifestação “vedado o anonimato”.

Ressaca Integrantes do Palácio do Planalto acreditam que a baixa adesão aos protestos de quinta-feira confirmam o prognóstico de que as manifestações contra a Copa terão escala bem menor que os atos da Copa das Confederações, um ano antes.

Repuxo As preocupações do governo continuam sendo greves e protestos de movimentos sociais, desvinculados da competição, mas que aproveitam o evento para ganhar visibilidade.

 

TIROTEIO

Alckmin conta policiais que não existem, vê vagas onde não há e inaugura algo morto. Nem Odorico Paraguaçu foi tão criativo.

DO DEPUTADO ESTADUAL GERSON BITTENCOURT (PT-SP), sobre mudanças na contagem de PMs e de vagas prisionais e o uso do volume morto do Cantareira.

 

CONTRAPONTO

Elixir da juventude

Em momento raro nos últimos anos, o senador José Sarney (PMDB-AP) decidiu discursar em sessão da Comissão de Constituição e Justiça. Durante votação sobre a criação de cota para negros em concursos públicos, o ex-presidente exaltou medidas de defesa da igualdade racial adotadas em seu governo e em seu mandato com parlamentar. Depois, o senador, de 84 anos disparou:

—O Paulo Paim apresentou um projeto que proíbe agressões a velhos. Eu já sou beneficiado por essa lei.

Vital do Rêgo (PMDB-PB) fez graça:

—Que nada, o senhor é um jovem experiente!