Jarbas abre dissidência pró-Campos no PMDB

Por Vera Magalhães
Jarbas Vasconcelos (esq), que comanda dissidência de senadores e deputados do PMDB pró-Eduardo Campos (dir). (Foto: Governo de Pernambuco/Divulgação)
Jarbas Vasconcelos (esq), que comanda dissidência de senadores e deputados do PMDB pró-Eduardo Campos (dir). (Foto: Governo de Pernambuco/Divulgação)

O senador Jarbas Vasconcelos (PE), antes o principal adversário e hoje aliado de Presidência, Eduardo Campos, organiza uma dissidência  formal no PMDB em prol do candidato do PSB à Presidência da República.

Jarbas promoveu na noite desta quarta-feira (7) em seu apartamento, em Brasília, um jantar com seis deputados federais e cinco senadores peemedebistas que devem declarar voto no ex-governador de Pernambuco, enquanto a direção do partido deve oficializar a aliança em torno da reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT).

“Nossa ideia é organizar um grupo que tenha compromisso com a história do partido e com a ética e formalizar uma dissidência organizada, com manifesto e mostrando a cara”, disse o senador à coluna.

Estavam no jantar os senadores Pedro Simon (RS), Luís Henrique (SC), Waldemir Moka (MS) e Ricardo Ferraço (ES) e os deputados federais Raul Henry (PE), Darcísio Perondi (RS), Osmar Terra (RS), Danilo Forte (CE), Nelson Tradd (MS) e Geraldo Resende (MS).

O grupo espera chegar a 11 deputados federais. Dos 5 senadores presentes ao jantar, apenas Luís Henrique ainda não definiu apoio a Campos, por questões da política catarinense, mas ainda está estudando.

Os dissidentes devem acompanhar o presidenciável do PSB em visitas aos Estados. O grupo ainda espera atrair a declaração de apoio do líder do PMDB no Senado e pré-candidato do partido ao governo do Ceará, Eunício Oliveira, que enfrenta problemas com o PT para a composição de alianças no Estado.

Jarbas promoverá novo jantar dos rebeldes, desta vez com a presença de Eduardo Campos, na próxima quarta-feira, dia 14.