PP vai liberar diretórios estaduais para fazerem alianças com quaisquer partidos

Por Painel

Casamento aberto Junto com o anúncio do apoio formal à reeleição de Dilma Rousseff, que acontecerá até o fim de maio, o PP soltará uma resolução da Executiva Nacional liberando os diretórios estaduais a fechar alianças com quaisquer partidos. “Isso dará mais segurança aos Estados”, diz o presidente da sigla, senador Ciro Nogueira (PI). Em São Paulo, depois de conversar com todos os candidatos, o partido, sob comando de Paulo Maluf, está prestes a selar acordo com o petista Alexandre Padilha.

Híbrido Em pelo menos três Estados o PP vai estar com Aécio Neves (PSDB): Acre, Minas e Rio Grande do Sul. A seção do Amazonas também pode apoiar o tucano se o prefeito de Manaus, Arthur Virgílio, fechar aliança com a deputada Rebeca Garcia para o governo.

Mineiro De Aécio, numa resposta “light” às críticas de Eduardo Campos (PSB) às gestões do PSDB em Minas Gerais: “Nós temos diferenças e não devemos temê-las. Assim como não devemos temer nossas convergências. Elas são boas para o Brasil”.

História Contrário à alteração do manifesto do PSB, o vice-presidente da sigla, Roberto Amaral, diz que o texto que defende a socialização dos meios de produção era considerado “conservador” e “social-democrata” quando foi editado, em 1947.

Tão longe Amaral também se opõe a Campos em análise sobre a política de comércio exterior brasileira. O vice do PSB defendeu o Mercosul em artigo publicado na semana passada. Dois dias depois, o presidenciável disse que a importância dada ao bloco deve ser “revisitada”.

Ibope O postulante do PSOL à Presidência, Randolfe Rodrigues, precisa investir no corpo a corpo para se tornar conhecido no Rio. No feriado, o senador pelo Amapá tomou uma cerveja e sambou tranquilamente no Bip-Bip, tradicional bar de Copacabana, sem ser reconhecido.

Histórico 1 A Polícia Federal identificou ex-integrantes de grupos paramilitares entre os haitianos que desembarcaram no Brasil nos últimos anos. Eles declararam sua ligação com milícias armadas, que agiam em favelas do país caribenho, durante processo de concessão de documentos nacionais.

Histórico 2 Entre agentes da PF, há a preocupação de que esse pequeno grupo se envolva em atividades criminosas ou violentas caso não consiga emprego no país.

Às claras Representantes de Ministério Público do Trabalho, Defensoria Pública da União, Procuradoria-Geral da República e Secretaria de Justiça paulista finalizaram ontem um esboço para o plano de política migratória.

Via expressa A ideia é que a peça, a ser apresentada para o Ministério da Justiça, reduza prazos para emissão de documentos e exija comunicação entre os entes federativos e deles com a União.

Calcanhares… O PMDB repetirá hoje, em São Paulo, as inserções em que Paulo Skaf ataca a multa proposta pelo governo Geraldo Alckmin (PSDB) para quem aumentar o consumo de água.

… de Aquiles A partir do próximo domingo, o partido centrará fogo em outro tema para atingir os tucanos: a sensação de insegurança no Estado. Skaf também protagonizará as novas peças, dirigidas por Duda Mendonça.

Terreno hostil A Câmara dos Deputados pagou R$ 8.000 por uma aula inaugural do ex-ministro do STF Carlos Ayres Britto em curso para funcionários da Casa, em fevereiro. Na ocasião, Britto defendeu a judicialização da política, tema que causa calafrios nos deputados.

TIROTEIO

“Ao recorrer ao Supremo para evitar a CPI da Petrobras, Renan mostra que é mais realista que o rei. Enquanto isso, a rainha está nua.”
DO DEPUTADO DANILO FORTE (PMDB-CE), sobre o recurso de Renan Calheiros ao STF e os impactos da criação da CPI da Petrobras sobre o governo Dilma.

CONTRAPONTO

Nunca te vi, sempre te amei

O senador Aécio Neves (PSDB-MG), pré-candidato à Presidência, participou de uma reunião com líderes trabalhistas ontem, antes do evento aberto na sede do Sindicato Nacional dos Aposentados.
No encontro, o deputado Paulinho da Força (SDD-SP) disse que escolheu o prédio para a reunião porque, durante a ditadura, Tancredo Neves, avô do tucano, havia dormido naquele local para evitar que os militares invadissem e prendessem os sindicalistas e militantes que se encontravam no local. Aécio se surpreendeu:

—Estamos juntos há tempos, hein?