Campos escolhe argentino para coordenar sua campanha na TV

Por Painel

Sem marqueteiro Eduardo Campos (PSB) decidiu abolir a figura do marqueteiro em sua campanha, ao lado de Marina Silva, à Presidência. Caberá ao argentino Diego Brandy, antes concentrado apenas na estratégia e na análise de pesquisas, coordenar os programas de rádio e TV do pessebista. O publicitário Edson Barbosa, que assinou as peças do PSB até aqui, deixou o time nacional e vai se dedicar exclusivamente à campanha de Paulo Câmara ao governo de Pernambuco.

Calculadora Empresários do setor produtivo não reagiram bem às promessas de Dilma Rousseff no pronunciamento de 1º de Maio. Dizem que, ao anunciar reajustes do salário mínimo e do Bolsa Família, ela ignorou o cenário fiscal em que as despesas continuam crescendo muito acima da arrecadação.

Pra inglês ver “Além disso, a correção do imposto de renda ficou no patamar da inflação, o que não muda absolutamente nada”, decreta um grande empresário.

Meio cheio Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que vive em atrito com o Planalto e foi ao ato da Força ao lado de Aécio Neves (PSDB), reconheceu virtudes na fala de Dilma. Diz que “não dá para menosprezar” seu efeito eleitoral.

 

Pinga ni mim Paulinho da Força comprou três garrafas de tequila Revolucion para a festa da central e, às 11h, já circulava com um copo à mão. Disse que era para “calibrar o discurso”. Acabou dizendo que Dilma deveria estar na Papuda. A fala preocupou advogados da central.

Contra-ataque Auxiliares de Dilma ficaram indignados: “Isso é linguajar de quem está muito doido, fora do juízo. Esse deputado deve ter enchido a cara antes do ato”, diz o ministro Paulo Bernardo (Comunicações).

Aqui do camarote Gilberto Carvalho foi até o gradil para ver a reação do público à fala de Aécio e constatou: “Não teve resposta maciça”.

Com papel Por determinação de Dilma Rousseff, a Polícia Federal inicia na próxima semana uma força tarefa para regularizar a situação dos haitianos que estão sendo enviados do Acre para São Paulo e não têm toda a documentação exigida pelo país.

Longo prazo Segundo o padre Paolo Parise, da ONG Missão Paz, que tem recebido os imigrantes, no ritmo atual a situação deles não seria resolvida antes de novembro.

Passadinha O governador Geraldo Alckmin foi ontem à entidade, em visita fora de sua agenda oficial. Ofereceu um espaço do governo para abrigar as atividades da Polícia Federal e vagas aos haitianos em cursos do fundo de solidariedade do Estado.

Disque denúncia O núcleo de enfrentamento ao tráfico de pessoas da Secretaria de Justiça flagrou ontem uma pessoa cobrando R$ 50 dos haitianos pela promessa de trabalho. O caso foi encaminhado ao 8º Distrito Policial e está sob investigação.

Guerra jurídica O advogado da secretária da pasta, Eloisa Arruda, ameaça processar o governador do Acre, Tião Viana (PT), caso ele cumpra a promessa de acionar a auxiliar de Alckmin na Justiça. “Ele a insultou de maneira muito pior”, diz Luiz Flávio Borges D’Urso.

Quinta… A oposição começou a articular a indicação de um deputado do PMDB para a presidência da CPI mista da Petrobras, caso ela seja mesmo instalada no retorno do Congresso aos trabalhos após o feriado.

… coluna O sonho de congressistas do PSDB e do DEM é que um peemedebista da ala “rebelde” possa controlar as votações de convocações e quebras de sigilo.

TIROTEIO

Se a presidente se vê pressionada a melhorar a vida dos brasileiros quando a oposição sobe nas pesquisas, pode preparar mais bondades.
DO SENADOR AÉCIO NEVES (PSDB-MG), pré-candidato à Presidência, sobre fala em que Dilma anunciou correção da tabela do IR e aumento no Bolsa Família.

 

CONTRAPONTO

Presença de palco

A fala de Aécio Neves (PSDB), ontem,em ato do 1º de Maio, foi precedida do polêmico discurso de Paulinho da Força, em que o sindicalista disse que Dilma Rousseff poderia ir parar no presídio da Papuda.
Quando os dois chegaram ao palco, o secretário-geral da entidade, João Carlos Gonçalves, se posicionou à frente do tucano, e justificou a auxiliares do senador:
–Me deixem aqui, do contrário Aécio aparecerá concordando com tudo o que o Paulinho falar.
Aécio agradeceu:
— Você deveria trabalhar na minha campanha!