Renan e Henrique Alves têm queda de braço por causa de CPI mista

Por Painel

Cabo de Guerra A dúvida sobre a instalação de uma CPI mista ou exclusiva no Senado para investigar a Petrobras deu início a nova queda de braço entre Renan Calheiros (PMDB-AL) e Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN). O presidente da Câmara foi à residência oficial do comandante do Senado na manhã de ontem para dizer que deputados exigem participar da apuração. Aliados de Renan reagiram com ironia, ao lembrar que a Câmara tem cinco comissões de inquérito em funcionamento.

Coexistência A princípio, a CPI mista e a do Senado devem funcionar simultaneamente. Senadores lembram que em 2007 coexistiram comissões das duas Casas para investigar o caos aéreo.

Roteiro A oposição tem certeza de que o governo vai criar dificuldades para a instalação da CPMI, mas aposta que haverá pressão da opinião pública e os aliados de Dilma terão de capitular.

Mercado… Na audiência de Graça Foster na Câmara, Fernando Francischini (SDD-PR) disse que Paulinho da Força (SDD-SP) tinha R$ 298 mil em ações da Petrobras em 2008 e que, hoje, elas valem menos de R$ 60 mil.

… futuro? Em nenhuma das últimas três declarações eleitorais de bens de Paulinho há registro de posse de ações do mercado financeiro.

Nossos votos Do líder do PMDB na Câmara, Eduardo Cunha (RJ), sobre a declaração de Dilma de que será candidata com ou sem o apoio da base: “Que tenha sucesso”.

Diploma O governo federal abrirá vagas no Pronatec para haitianos que estiverem interessados em trabalhar em diversas cidades do país. O Planalto acredita que a formação técnica pode evitar que os imigrantes sejam explorados em subempregos.

Mutirão A Prefeitura de São Paulo encaminhou 700 kg de alimentos para o abrigo dos haitianos que chegaram à capital vindos do Acre. A administração também recebeu 130 ofertas de empregos.

Impasse O secretário municipal Chico Macena (Governo) se reúne na segunda-feira com o ministro José Eduardo Cardozo (Justiça) para discutir o destino dos imigrantes haitianos.

Batendo… O grupo de economistas que debateu ontem o programa econômico do PSB colocou em discussão a experiência de outros países que formalizaram a autonomia de seus Bancos Centrais, tema que opõe Eduardo Campos a Marina Silva.

… de frente Também levantaram questões práticas, como critérios para a escolha do presidente da instituição. Houve divergência sobre a pertinência de incorporar o tema ao plano de governo.

Escolinha Diante do local da reunião, que lembrava uma sala de aula, um dos acadêmicos brincou: “Fazia bastante tempo que muitos de nós não nos sentávamos deste lado da classe”.

Flerte Apesar da intenção de parte da Rede e do PSB de contar com Luiz Pinguelli Rosa no programa, o acadêmico registra que ainda não foi procurado pela dupla.

Quem te viu O governo Geraldo Alckmin, destaque da última propaganda do PSB paulista, não deve aparecer nas peças que vão ao ar na segunda-feira. Estrelados pelo deputado Márcio França, os filmes devem promover críticas à política tradicional.

Visita à Folha O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), visitou ontem a Folha. Estava acompanhado de Mauro Arce, secretário de Recursos Hídricos, Márcio Aith, secretário de Comunicação, e Eduardo Guedes, assessor de imprensa.

TIROTEIO

Não sei se Alckmin escalou a tropa de choque ou sua tropa do cheque. Mas, se escolheu gente de peso, é porque quer afundar a CPI.
DO DEPUTADO ESTADUAL MAJOR OLÍMPIO (PDT-SP) sobre a presença de três ex-secretários de Geraldo Alckmin na CPI dos Pedágios na Assembleia.

CONTRAPONTO

Vai indo que eu não vou

Em evento ontem, Eduardo Paes (PMDB) defendia as vantagens da demolição da Perimetral, no centro do Rio.
—Ainda está uma situação meio caótica ali, o que tem aumentado enormemente minha popularidade em razão dos engarrafamentos —brincou.
Contou que, na véspera, ele e o governador Luiz Pezão tinham ficado uma hora presos no trânsito.
—Aí o Pezão disse: ‘Vamos sair e andar?’. Eu falei: ‘Ô, Pezão, vou ser linchado se sair e andar aqui. Não te aconselho. Você vai disputar eleição, tem que ficar popular. É melhor não andar do meu lado no engarrafamento’.