Secretária de Justiça de SP diz que governo do Acre agiu como ‘coiote’

Por Painel

Sem diplomacia Em meio à crise entre São Paulo e Acre pelo envio de imigrantes haitianos sem aviso, a secretária de Justiça paulista, Eloisa Arruda, acusa o governador Tião Viana (PT) de agir como “coiote” e facilitar a ação de aliciadores de trabalho escravo ao “soltar nas rodoviárias” da capital paulista os refugiados “que não falam a língua nem têm documentação trabalhista”. “Eles se tornam vulneráveis para aliciadores. Um governo não pode patrocinar uma ação dessa, não pode agir como coiote.”

Aqui, não Ela também rebate a acusação de Viana de que quem reclama é a “elite paulista”. “Sou neta de retirantes nordestinos. Não falo de deslocamentos em massa porque aprendi na academia, mas porque fiz trabalho de campo no Timor Leste. ‘Conversinha de elite’ é para fugir da responsabilidade.”

Coincidência? O relatório da Polícia Federal citando Alexandre Padilha nas investigações da Operação Lava Jato aumentou no PT a teoria segundo a qual uma ala da corporação ligada aos auxiliares da presidente Dilma Rousseff age para atingir setores do partido mais identificados com o ex-presidente Lula.

Sem… A cúpula do PT refuta especulações de que, a depender da evolução das investigações, a candidatura de Padilha poderia ser inviabilizada. A ordem, hoje, é dar respaldo ao ex-ministro publicamente e enfatizar que a candidatura será mantida.

… plano B Ademais, dirigentes lembram que os ministros Marta Suplicy, José Eduardo Cardozo e Aloizio Mercadante e o prefeito Luiz Marinho, antes citados como possíveis pré-candidatos em São Paulo, não se desincompatibilizaram de seus cargos no prazo da lei eleitoral.

Nem aí Siglas que negociam alianças com Padilha e com Geraldo Alckmin (PSDB) dizem que, se o caso ficar restrito ao já divulgado, a escolha não será influenciada.

Nas cordas Alckmin chamou a titular da Secretaria da Pessoa com Deficiência, Linamara Battistella, para que apresente explicações sobre denúncias de nepotismo na pasta. A audiência ainda não aconteceu. A avaliação é que o caso merece uma resposta “sóbria”, pois não foi identificada conotação política.

Palavras… A CNBB convidou os candidatos a presidente para debate na segunda quinzena de setembro. Coordenadores das principais campanhas se reunirão na segunda-feira para discutir o formato do encontro.

… da salvação Articuladores da candidatura de Dilma defendem que ela modere sua exposição durante a campanha, mas dizem que será difícil recusar o convite.

Adolar

Direto ao ponto Marqueteiros evitam passar recibo diante do quadro “jingle sincero”, crítica mordaz à propaganda política feita por Marcelo Adnet no “Tá no Ar”, da TV Globo. Um deles diz que a música-chiclete não terá nesta campanha o mesmo peso que teve em disputas anteriores, que tornaram célebres refrões como “Lula lá”.

Trator Favorito para presidir a CPI da Petrobras, João Alberto (PMDB-MA) se encaixa na vaga por ter perfil “truculento”, segundo um senador governista. Ele não teria receio, por exemplo, de cortar o microfone se achar que a oposição foi longe demais.

Professor Já o senador José Pimentel (PT-CE) deve ser o relator da comissão.

Ainda não A orientação do Palácio do Planalto para líderes do governo é “matar” a semana que vem e tentar segurar a indicação dos integrantes da CPI por mais alguns dias. O Senado decretou ponto facultativo na sexta-feira, após o 1º de Maio.

TIROTEIO

“Agora conseguimos entender por que Alexandre Padilha não tira a água da cabeça: são suas relações com cachoeiras e lava jatos.”

DE FELIPE SIGOLLO, dirigente do PSDB paulista, sobre a suspeita da PF de que Padilha tenha indicado um executivo para o laboratório de um doleiro.

CONTRAPONTO

Amigos de fé

O ministro José Eduardo Cardozo (Justiça), que foi deputado federal por dois mandatos, visitou a Câmara em março para uma reunião com parlamentares sobre o Marco Civil da Internet, ainda em discussão.

O petista, que não se candidatou em 2010 para coordenar a campanha de Dilma Rousseff à Presidência, chamava todos os colegas pelo nome.

Chico Alencar (PSOL-RJ) então brincou:

—Você já deve estar arrependido de não ter disputado um novo mandato de deputado, não é, ministro?

—Estou ficando arrependido aqui e agora, Chico!