‘Deportação’ de haitianos do Acre a SP provoca queda de braço entre petistas

Por Painel

O Haiti não é aqui A “deportação” de refugiados haitianos pelo governo do Acre para São Paulo provocou queda de braço entre três governos do PT: o acriano, o da capital paulista e o federal. Fernando Haddad, que ontem disse ter ligado para o governador Tião Viana, também pediu a intervenção do Ministério da Justiça para arbitrar o assunto. Reservadamente, para não escancarar a briga partidária, auxiliares do prefeito confirmam que secretários de Viana têm se recusado a dar informações.

Telefone… O secretário de Direitos Humanos do Acre, Nilson Mourão (PT), diz que “ainda está aguardando” um contato paulistano. “Estamos à disposição para desenvolver ações humanitárias. Se querem que informemos quantas pessoas vão chegar, e quando, informaremos.”

… sem fio O secretário de Direitos Humanos de Haddad, Rogério Sottili, evita a bola dividida, mas auxiliares da prefeitura dizem que Mourão foi contatado logo que os haitianos começaram a chegar sem aviso prévio.

Tentativa… Apesar do discurso do PSDB de que não vai se opor ao funcionamento da CPI dos Pedágios na Assembleia paulista, deputados da sigla chegaram a fazer consultas técnicas informais para saber se as assinaturas de parlamentares que já renunciaram ao mandato continuavam válidas para a instalação da comissão.

… e erro A estratégia foi abortada ainda no estágio inicial, quando verificaram que ela não prosperaria, segundo o regimento. Os partidos devem indicar hoje os nomes que atuarão na comissão.

Vai ou racha Celso Russomanno (PRB) diz que pode ficar “independente” nesta eleição se Geraldo Alckmin (PSDB) não mudar a gestão do Procon. Procurado pela coluna, questionou: “Como posso sair em defesa de um governo se o órgão da minha área não funciona direito?”.

Consultoria Julio Delgado (PSB-MG) procurou ontem o presidente da Câmara, Henrique Alves (PMDB-RN), para ter certeza de que o processo contra André Vargas (PT-PR) no Conselho de Ética não será interrompido se ele renunciar. A oposição teme perder a oportunidade de ferir o governo federal com o caso.

Homens… Apesar do discurso de que candidaturas múltiplas nos Estados não serão problema para Dilma Rousseff, a coordenação da campanha demonstrou preocupação com a criação de um ambiente beligerante entre partidos da base aliada.

… cordiais Em reunião com Dilma anteontem, o comando da campanha decidiu que a presença dela em Estados com situação delicada, como Rio e Ceará, acontecerá com cautela e que os candidatos do PT serão orientados a reduzir agressões a aliados.

Reforço Os ministros Paulo Bernardo (Comunicações) e Ricardo Berzoini (Relações Institucionais) foram incorporados à reunião, no Palácio da Alvorada.

Bicho pega Reuniões regionais de deputados federais do PR têm mostrado ampla insatisfação com o governo federal e pressão para o partido rever a aliança com o PT.

Feedback Pesquisa telefônica do Sensus em 24 Estados apontou impacto positivo para o PSDB de seu programa na TV na semana passada. Na amostra, que representa 40,8% dos domicílios (os com telefone fixo), Aécio Neves cresce de 8,1% entre quem não viu o programa para 22,2% entre os que viram.

Jean Galvão

Personagem Aécio já assumiu trejeitos de candidato. Ontem, após uma reunião, viu que um funcionário terceirizado do Senado fazia uma foto sua, foi até o rapaz e o ensinou a tirar uma “selfie”.

TIROTEIO

“Dilma, Graça Foster e Gabrielli precisam se entender sobre o caso Pasadena. A literatura infantil conhece apenas um Pinóquio.”

DO DEPUTADO FEDERAL VANDERLEI MACRIS (PSDB-SP), sobre a diferença nas versões apresentadas a respeito da compra da refinaria pela Petrobras.

CONTRAPONTO

Ideia fixa

No final do prazo para que ministros deixassem o cargo para disputar as eleições, Guilherme Afif estava em evento do PSD ao lado de Gilberto Kassab e Henrique Meirelles. Afif, então, foi questionado se seria uma opção caso Meirelles não topasse a candidatura ao Senado.

— Seria um grande candidato —apressou-se Meirelles.

— Eu tenho compromisso de ficar até o final do governo e teria de sair do cargo até…? —retomou Afif.

— Hoje! —disse Meirelles, ao que Kassab completou:

— Nossa! Só falta agora o Meirelles apresentar a fichinha para o Afif assinar!