Oposição mira outros petistas em processo contra André Vargas

Por Painel

Mirando alto A tentativa da oposição de manter vivo o processo contra André Vargas (PT-PR) no Conselho de Ética da Câmara tem como pano de fundo um esforço para atingir outros petistas que disputarão as eleições este ano. Integrantes do colegiado discutem nos bastidores o convite do ex-ministro da Saúde Alexandre Padilha como testemunha para explicar conversas de Vargas com integrantes da pasta sobre contratos com a empresa Labogen, ligada ao doleiro Alberto Youssef.

Contrapartida Também está no radar uma tentativa de convencer o deputado petista a revelar relações entre o doleiro e a senadora Gleisi Hoffmann, candidata ao governo do Paraná. Em troca, ele poderia ser poupado de um pedido cassação e ser punido com uma suspensão.

Sauna A direção do PT vai tentar sufocar Vargas para convencê-lo a renunciar ao mandato. O partido quer convocar uma reunião de sua Executiva Nacional nos dias 2 e 3 de maio, em pleno feriado prolongado, para discutir a possibilidade de expulsá-lo.

Transferência Na véspera de ser preso, Youssef entregou a um auxiliar uma mala com dinheiro, com medo de ser assaltado. Interceptações telefônicas da Operação Lava Jato revelam que ele achava que estava sendo monitorado –mas por ladrões, e não pela Polícia Federal.

Tema único O assunto principal da reunião de ontem de Dilma Rousseff com seu comando de campanha seria, como sempre, a participação de Lula na candidatura. Definir a exposição do ex-presidente tem requerido mais debate que a dosimetria das penas do mensalão.

Aí não O QG dilmista considerou impróprio o cruzamento do Datafolha que mede a intenção de votos no grupo dos que conhecem bem os três principais candidatos a presidente. Diz que o segmento, diminuto, não reproduz as condições socioeconômicas e geográficas do universo do eleitorado.

Além do limite Na reunião com o comitê de organização da Copa em São Paulo, o secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, explicitou preocupação com a capacidade de Porto Alegre e Curitiba entregarem suas arenas a tempo.

Mapa… Tucanos traçaram cenário otimista na reunião com presidentes estaduais. Contabilizaram candidaturas próprias ao governo de ao menos 11 Estados.

… da guerra No plano nacional, estabeleceram como meta vencer a disputa na região Norte e “neutralizar” a margem no Nordeste, onde sofreram derrota por 10,5 milhões de votos em 2010.

Em obras Eduardo Campos (PSB) começou a articular a mudança da aliança pela reeleição do governador Renato Casagrande (PSB), no Espírito Santo. Diante da provável candidatura de Paulo Hartung (PMDB), com apoio do PT, os pessebistas buscarão acordo com o PSDB.

No ninho Em plena campanha, Campos vai a quatro cidades de Minas no início de maio: Uberaba, Uberlândia, Belo Horizonte e Contagem. Nos dois últimos municípios, Campos receberá títulos de cidadão honorário.

Preleção Neca Setúbal e Mauricio Rands reúnem hoje coordenadores setoriais do programa de governo da chapa presidencial Campos e Marina Silva. A ideia é lançar a segunda versão do documento do PSB até 31 de maio.

APODE2304PAINEL

Na semana em que abriu mão oficialmente de se candidatar já à Presidência, Marina se dedicou à leitura de “Teologia para o cotidiano”. “Uma das maiores bênçãos de Deus é aquilo de que o homem se queixa: sua aparente demora”, diz um trecho.

TIROTEIO

“A prefeitura mal dá conta de sua população vulnerável. Como receberá 200 imigrantes, enviados sem cuidado por outro governo?”

DO VEREADOR FLORIANO PESARO (PSDB-SP), ex-secretário de Assistência Social, sobre o envio de imigrantes haitianos pelo governo do Acre para SP.

CONTRAPONTO

Questão semântica

Em esforço concentrado de votação no início do mês, deputados incluíram em pauta três projetos de lei que tratavam exclusivamente de animais: castração de cães e gatos, medidas de redução de mortes e vedação do uso em filmes pornográficos. Ao ver que o PC do B subscrevia todos eles, Ivan Valente (PSOL-SP) provocou o colega João Ananias (PC do B-CE):

—Vocês não colocam mais a revolução em pauta, camarada? —perguntou.

—Claro que sim, Ivan: “A Revolução dos Bichos”!

—Mais para Orwell que para Lênin… —arrematou.