Renan engavetou, em 2006, pedido de CPI para apurar ‘fatos difusos’

Por Painel

Letra morta Prestes a dar seguimento à CPI articulada pelo Planalto para investigar sete assuntos diferentes, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), engavetou em 2006 pedido de comissão para apurar denúncias de corrupção no governo Lula. “Listar fatos difusos, desconexos ou pulverizados (…) na tentativa de viabilizar sua instalação não encontra respaldo na Constituição, nem nos regimentos das Casas legislativas, e menos ainda no STF”, escreveu Renan, na época.

Jurisprudência O pedido de 2006 incluía a quebra de sigilo do caseiro Francenildo Costa, as relações empresariais do filho de Lula e a prisão de um assessor petista com dinheiro na cueca. O caso será citado pela oposição no recurso ao STF para tentar garantir a CPI da Petrobras.

Abafa O Planalto quer adiar por mais uma semana a decisão sobre a CPI, para tentar enterrar todas as investigações propostas. Os senadores petistas vão pedir vista durante a sessão da Comissão de Constituição e Justiça que vai discutir o pedido.

Cordão… A partir de hoje, governistas no Congresso vão martelar em entrevistas e nas tribunas a explicação de que as acusações contra André Vargas (PT-PR) não têm nada a ver com a Petrobras.

… sanitário Os diálogos entre o deputado e o doleiro Alberto Yousseff mostrariam a tentativa frustrada de influir numa compra do Ministério da Saúde. A intenção é circunscrever o desgaste ao petista e evitar que o caso dê gás à tentativa de criar a CPI.

Vivo? Vargas havia dito a aliados no domingo que pediria licença da Câmara por 90 dias. A mudança de prazo para 60 dias foi uma aposta de que vai “conseguir segurar” o mandato, diz um colega.

Sinais O cenário de queda de Dilma Rousseff na pesquisa Datafolha atiçou grandes empresários que torcem pela volta de Lula. Um deles disse a um político no fim de semana que acredita que a troca do candidato petista é só uma questão de tempo.

Alerta No Planalto, o dado considerado mais alarmante da pesquisa foi a expectativa de que haverá alta da inflação, manifestada por 65% dos entrevistados.

O sonho… Com o resultado do Datafolha, ganhou força no meio virtual campanha pela inversão da chapa presidencial Eduardo Campos-Marina Silva.

marina-silva-eduardo-campos

… não acabou A página “Oito dias que mudarão o Brasil” faz alusão à data de anúncio da chapa, na segunda-feira, e tem participação de dirigentes da Rede. Marineiros descartam a troca, mas temem saia justa com Campos caso a ideia ganhe corpo.

Bota-fora Com o pessebista fora do governo de Pernambuco, Dilma deve ir ao Estado entregar cisternas em Caruaru, reduto eleitoral do governador João Lyra (PSB).

Pressão A promotora Alexandra Facciolli, que questiona o uso do volume morto do sistema Cantareira, sustenta que o decreto que define atribuições da ANA permite que a agência declare racionamento em São Paulo sem aval do grupo de acompanhamento da crise hídrica.

Efeito Ipea A Secretaria de Educação paulista, que estranhou resultado de sondagem da Apeoesp sobre qualidade no ensino, diz ter pedido acesso aos dados à entidade sindical há dez dias, mas ainda não os recebeu.

Visita à Folha Giovanni Guido Cerri, diretor da Faculdade de Medicina da USP, visitou ontem a Folha. Estava com Eloisa Bonfá, diretora clínica do Hospital das Clínicas, e Victor Ramos, assessor de imprensa.

TIROTEIO

“Desta vez Alckmin escolheu o mais votado. Se isso o guiou, é muito bom para a instituição, mas não estou na cabeça dele para saber.”

DE FELIPE LOCKE CAVALCANTI, procurador de Justiça mais votado em 2012, sobre a recondução de Márcio Elias Rosa para a chefia do Ministério Público.

CONTRAPONTO

Filho de peixe

Em seu penúltimo dia no governo de Pernambuco, Eduardo Campos inaugurou o museu Cais do Sertão, no centro do Recife. Quando saía do prédio, a curadora do museu o apresentou a uma das agentes de segurança.

—Esta moça é tetraneta de Lampião!

A guarda, então, contou a Campos a história de sua família, de uma cidade do interior do Estado.

O então governador, depois de ouvir, disse para os demais seguranças:

—Esses machos podem todos ir embora que ela sozinha cuida do museu!