Planalto pode ter 40 assinaturas para aumentar escopo de CPI da Petrobras

Por Painel

Convocação extra O Palácio do Planalto determinou que os senadores da base aliada voltem de seus Estados para Brasília na segunda-feira a fim de colocar em prática o plano de estender as investigações da CPI da Petrobras a temas que possam atingir a oposição. Articuladores do governo Dilma Rousseff estimam que podem obter 40 assinaturas para o adendo que pretendem protocolar no Senado. Aliados da petista tentarão ampliar o escopo da CPI para apurar o “mau uso de recursos federais”.

Menu Com a nova formulação do texto da CPI, o governo Dilma espera abranger a apuração sobre o uso de verbas repassadas a alguns projetos do metrô de São Paulo, à refinaria de Suape, em Pernambuco, e à empresa mineira de energia Cemig.

Pode vir O pré-candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, ironiza o esforço governista para desviar o foco da Petrobras: “Fazer um pente-fino na administração de Minas foi a melhor ideia que o PT teve. Com isso poderão aprender um pouco de gestão pública eficiente”.

Big Brother Oposicionistas monitoraram nos últimos dias os senadores de partidos da base de Dilma que assinaram o requerimento da CPI, para evitar que o governo os convença a retirar seu apoio.

Tá gravado Os tucanos comemoraram ao saber que o senador Sérgio Petecão (PSD-AC), em evento com centenas de pessoas no Acre ontem, defendeu a investigação.

De gala Em setembro de 2006, a Petrobras organizou uma festa reservada no Museu de Belas Artes de Houston, no Texas (EUA), para comemorar a compra de parte da refinaria de Pasadena, aprovada sete meses antes.

Bem-vindos José Sérgio Gabrielli, então presidente da estatal, foi o anfitrião da festa ao lado do CEO da Astra Oil, que depois entrou em litígio com a Petrobras pela condução da sociedade na planta.

Para tudo 1 O grupo ambiental do Ministério Público na região da bacia do PCJ, parte do sistema Cantareira, questionou formalmente os governos paulista e federal sobre estudos de viabilidade da utilização do volume morto das represas para combater a crise de abastecimento.

Para tudo 2 Os órgãos técnicos têm até o fim da próxima semana para mostrar que o uso dessa reserva não põe em risco o futuro do sistema. Caso contrário, a promotoria pretende entrar com uma ação pedindo a suspensão das obras. Elas são a principal aposta do governo Geraldo Alckmin (PSDB) para evitar racionamento.

Low profile Dirigentes do PMDB defendem que, ainda que Paulo Skaf recupere na Justiça o direito de aparecer nas propagandas da Fiesp, ele deva ficar afastado das peças para evitar outras ações. A entidade aguarda o julgamento para decidir as próximas campanhas.

Avant-première O PSD lança na segunda-feira a pré-candidatura de Gilberto Kassab ao governo de São Paulo. Embora seja apenas uma formalidade, será mostrado o resultado de uma consulta feita ao partido sobre o nome do ex-prefeito da capital.

Leilão Enquanto o PRB não assume o comando do Procon, prometido pelo governo paulista a um indicado de Celso Russomanno, Marcos Pereira, presidente da sigla, se reúne com Skaf na próxima segunda-feira.

Sabático Eduardo Campos (PSB) avisou a aliados que vai “sumir” por alguns dias após deixar o governo, em 4 de abril. A ideia é submergir, passar um tempo com a família e só voltar no dia 14, quando Marina Silva deve anunciar que será sua vice.

TIROTEIO

Berzoini entende de dossiês e aloprados. Ao designá-lo, Dilma mostra como vai se defender das acusações na CPI da Petrobras.

DO DEPUTADO CARLOS SAMPAIO (PSDB-SP), sobre o ministro, que presidia o PT em 2006, quando explodiu o escândalo da compra de dossiê contra tucanos.

CONTRAPONTO

É proibido dormir

A ex-senadora Marina Silva passou a noite em claro antes do ato regional do Nordeste da aliança PSB-Rede, que aconteceu no último sábado.

O voo que a levava para Salvador fez uma escala imprevista em Maceió e atrasou quatro horas.

—Se eu fosse dormir, não acordava mais… — contou.

Empolgado com o discurso da aliada, o governador Eduardo Campos a incentivou a repetir a dose no próximo ato, em Manaus.

—O avião pode dar uma volta lá pelo Acre, por Roraima… a tarefa é não deixar você dormir um minuto!