Gabrielli, ex-presidente da Petrobras, não irá à comissão do Congresso

Por Painel

Nada a declarar José Sérgio Gabrielli, que presidia a Petrobras quando a refinaria em Pasadena (EUA) foi comprada, não pretende comparecer diante da comissão externa criada no Congresso para investigar denúncias de irregularidades em contratos da empresa. Gabrielli tem dito que já prestou todos os esclarecimentos sobre o negócio ao Senado. Nos órgãos que investigam a compra, o ex-executivo manterá a defesa que tem feito: a de que o negócio era vantajoso segundo os dados disponíveis na época.

Macro 1 Diretores da Petrobras dizem que, na reunião do Conselho de Administração que discutiu em março de 2006 a compra da refinaria do Texas, nenhum dos conselheiros levantou dúvidas sobre cláusulas específicas do contrato —que ainda não estava finalizado.

Macro 2 A discussão naquela época foi apenas sobre se era correta a estratégia de a Petrobras adquirir refinarias no exterior, que já havia sido definida desde 1999.

Pós-furacão A reunião do conselho da Petrobras da última sexta-feira ocorreu sob um clima de nervosismo. O encontro, que costuma durar uma hora e meia, se estendeu por três horas.

Maracujina O almoço foi interrompido diversas vezes, com saídas da presidente Graça Foster da sala de reuniões para o seu gabinete.

Último a… Quando foi consultado por Aloizio Mercadante (Casa Civil) sobre o escolhido para o Ministério do Turismo, na tarde do dia 13, o presidente do PMDB, Valdir Raupp, pensou tratar-se de Vinícius Lummertz, secretário-executivo da pasta e ligado ao PMDB catarinense.

… saber O presidente da sigla aprovou a indicação e disse que o novo ministro teria o apoio de parte da bancada da Câmara. Só depois soube que o Planalto escolhera Vinícius Lages, defendido pelo presidente do Senado, Renan Calheiros (AL).

Cara… O silêncio brasileiro diante da crise entre Rússia e Ucrânia na Crimeia e a cautela do governo em relação aos protestos na Venezuela foram pautados pelo mesmo motivo: a economia.

… diplomacia O Itamaraty calcula que, caso embarque na censura dos EUA à Rússia, será pressionado também a impor sanções comerciais ao país, o que contraria interesses do país.

Papagaios 1 No caso da Venezuela, além da afinidade política com o chavismo, pesaram apelos feitos por empresários com atuação no país vizinho para que o governo não endurecesse o discurso contra Nicolás Maduro.

Papagaios 2 Gestores privados temem que o presidente venezuelano freie o pagamento de dívidas com as empresas brasileiras.

Território O governador Geraldo Alckmin vai insistir em convencer o Vale do Paraíba do acerto do projeto de interligação da bacia do rio Paraíba do Sul ao sistema Cantareira para conter a crise hídrica na Grande São Paulo.

Sola de sapato O tucano recebeu na quinta-feira passada deputados da região e volta amanhã a São José dos Campos para dialogar com os prefeitos do Codivap.

Nota só Aliados de Alexandre Padilha (PT) dizem que o pré-candidato ao governo paulista vai aproveitar as falhas no metrô e na CPTM nas últimas semanas para voltar a atacar a “falta de planejamento” no setor.

Passar bem Ainda que consiga rever na Justiça Eleitoral sua inelegibilidade, a governadora do Rio Grande do Norte, Rosalba Ciarlini, não terá legenda do DEM para disputar a reeleição.

TIROTEIO

“Aécio apoia a CPI porque está incomodado com os ataques de Campos ao governo. Isso é uma disputa interna na oposição.”

DO MINISTRO PAULO BERNARDO (COMUNICAÇÕES), sobre o presidenciável tucano defender a investigação da Petrobras, que não é consenso no PSDB.

CONTRAPONTO

Diário extraoficial

Um grupo de deputados e senadores viajou à estação brasileira na Antártida na semana passada. Num jantar no navio da Marinha, o deputado Jeronimo Goergen (PP-RS) brincava de distribuir ministérios aos presentes.

—Jorge Viana vai para a Casa Civil —disse ao petista.

“Nomeou” um brigadeiro para a Defesa e chegou a vez de designar Paulo Quartiero (DEM-RR), líder dos arrozeiros que resistiram à criação da reserva Raposa Serra do Sol em 2008 e que teve denúncia arquivada pelo STF.

—E tu, Quartiero, vai ficar com Direitos Humanos!

Todos riram, exceto o próprio deputado, constrangido.