Governo federal teme que seca em SP leve à inflação de alimentos

Por Painel

Gargalo dos preços A área econômica do governo está preocupada com a crise de abastecimento de água em São Paulo. O temor é que a seca eleve ainda mais o preço dos alimentos e tenha impacto sobre o índice geral de inflação. Embora ministros digam que a ordem de Dilma Rousseff é não usar o risco de racionamento no Estado para fustigar a gestão do tucano Geraldo Alckmin, o tema já começou a ser explorado pelo pré-candidato do PT ao governo, Alexandre Padilha, que culpou o governador pela crise.

Quem avisa… O governo comunicou às teles, as maiores interessadas em limitar a neutralidade da internet no Marco Civil, que acordos fechados com Eduardo Cunha (PMDB-RJ) não têm validade.

… amigo é Dilma quer pressionar as empresas a parar de usar Cunha como interlocutor, deixando claro que os interesses do setor no relacionamento com o governo são muito mais amplos.

Varejo 1 O Planalto vai dedicar as próximas semanas a distribuir aos aliados o comando de empresas públicas e autarquias. O PP, por exemplo, vai indicar o presidente da Chesf (Companhia Hidrelétrica do São Francisco).

Varejo 2 O quinhão do PTB será definido hoje em reunião com Aloizio Mercadante (Casa Civil). O Pros deve selar amanhã a permanência de Francisco Teixeira na Integração e indicar nomes para Sudene, Sudeco e Sudam.

E aí? Ideli Salvatti (Relações Institucionais) recebe deputados do PT hoje. Vai cobrar mais empenho da bancada para evitar que se repitam as derrotas sofridas pelo governo na semana passada.

Prazo O governo determinou que os 6 mil caminhões-caçamba, retroescavadeiras e motoniveladoras restantes do PAC Equipamentos sejam entregues pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário aos municípios até o fim de junho, antes do início oficial da campanha de Dilma.

Sem tchau O novo ministro do Turismo, Vinicius Lages, mal conversou com o antecessor, Gastão Vieira, antes da posse. Os dois se encontrariam na sexta, mas Lages se atrasou e Vieira viajou para o Maranhão. Ontem, o substituto foi recebido pelo chefe de gabinete.

Noivado 1 Eduardo Campos e Marina Silva escolheram 14 de abril para o anúncio da chapa encabeçada pelo governador pernambucano, com a ex-senadora na vice.

Noivado 2 O PSB ainda procura palco para o evento, marcado para Brasília. A Rede também fará consulta protocolar interna para confirmar a indicação de Marina.

Operação… Começa a ganhar corpo no PSDB a proposta de escalar Fernando Henrique Cardoso como vice de Aécio Neves. O ex-presidente já disse a amigos que, se for convidado, aceitará.

… resgate Os tucanos se animaram com pesquisas qualitativas do instituto Sensus que mostrariam recuperação da imagem de FHC, principalmente em São Paulo, Estado-chave na eleição.

Divórcio A ideia de reabilitar FHC foi um dos motivos de desentendimento entre Aécio e o marqueteiro Renato Pereira, que era contra.

Flerte Na última sexta-feira, Pereira se encontrou pela primeira vez com Eduardo Campos, no Rio. A conversa foi boa, mas não avançou sobre a possibilidade de uma parceria para a campanha.

A toda José Serra, que deve se candidatar à Câmara, cumpre extensa agenda pública. No fim de semana, encerrou evento do PSDB em Atibaia. Ontem, foi à inauguração de uma Etec e à posse do novo presidente da Sociedade Rural Brasileira.

Visita à Folha Marcos da Costa, presidente da seção de São Paulo da Ordem dos Advogados do Brasil, visitou ontem a Folha. Estava acompanhado de Ives Gandra Martins, jurista, e de membros da Comissão de Reforma Política da OAB-SP.

TIROTEIO

“Dilma precisará de cola para leme brar quem são os novos donatários das capitanias do governo, após tantas chantagens e recusas.”

DO SENADOR ALVARO DIAS (PSDB-PR), sobre a nomeação de seis novos ministros de Dilma Rousseff, em reforma que se arrasta desde o início do ano.

CONTRAPONTO

Frio, aguado e amargo

Adolar

Ao fim da cerimônia de posse de ministros, ontem no Palácio do Planalto, Paulo Bernardo (Comunicações) cumprimentou o colega Jorge Hage (Controladoria-Geral da União).

—Jorge, você está me devendo um café. Vou passar na CGU, que tem o melhor café do governo —brincou Bernardo.

Hage, que comanda o órgão responsável pela fiscalização de concorrências do poder público, rebateu:

—É café comprado em licitação! É horrível!