Programa do PSB aposta em “simbiose” entre Eduardo Campos e Marina Silva

Por Painel

Era uma vez

O programa de TV do PSB, que vai ao ar no dia 27, apostará em mostrar a “simbiose” entre Eduardo Campos e Marina Silva. A ideia que a propaganda vai vender é que a trajetória política de ambos se “complementa” e, juntos, eles podem “ampliar” sua atuação. O roteiro tem dois objetivos: tentar acelerar a migração de votos da ex-senadora para o governador pernambucano e reduzir o peso dos ruídos políticos entre os dois grupos, que freiam a definição de candidaturas em vários Estados.

Raízes Para ilustrar a narrativa sobre a biografia de cada um, serão usadas imagens do ambientalista acreano Chico Mendes, mentor político de Marina, e de Miguel Arraes, ex-governador de Pernambuco e avô de Eduardo Campos.

APODE1603PAINEL

Talk show Campos e Marina gravaram cenas em que aparecem lado a lado em estúdio. Os assuntos foram pré-definidos, mas o tom da conversa é coloquial.

Dois pesos Dilma Rousseff combinou com Gleisi Hoffmann, pré-candidata ao governo do Paraná, a aparição conjunta em evento da Federação do Comércio do Estado, amanhã. Na visita da presidente a São Paulo, na semana passada, Alexandre Padilha ficou fora da lista de convidados.

Tudo… Ao contrário da relação entre PT e PMDB, dirigentes de PSDB e DEM dizem que conseguiram superar conflitos nos Estados e começam a costurar os palanques para a candidatura de Aécio Neves (PSDB).

… numa nice O presidenciável tucano se reúne na terça-feira com José Agripino (DEM) para discutir a candidatura apoiada pelas duas siglas no Rio Grande do Sul.

Coletivo O time de marketing de Aécio terá PC Bernardes, veterano de campanhas tucanas, na criação de jingles, e o argentino Pablo Nobel na direção de vídeo.

Fora dos… O Metrô de São Paulo notificou a Bombardier de que pode multá-la por atraso na entrega dos trens que vão operar o monotrilho da linha 15-Prata. A empresa ainda não enviou sua defesa formal à estatal.

… trilhos A empresa canadense só entregou 3 dos 4 trens que deveria ter fornecido, um deles com atraso. Com isso, o início parcial da operação da linha ficou para maio. O temor é que a obra não fique pronta até o fim de junho, prazo da lei eleitoral para que Geraldo Alckmin (PSDB) possa inaugurá-la.

Cadê? O grupo que acompanha as investigações da Corregedoria paulista sobre o cartel que agiu no Metrô e na CPTM vem se queixando de que o órgão não cumpriu a promessa de encaminhar relatório das apurações, como prometido há 20 dias.

Mudou O texto deve nortear a conclusão do grupo, prevista para o fim do mês. “O silêncio não é compatível com os procedimentos da corregedoria. Surpreende por ser diferente da forma como eles vinham se comportando”, diz Cláudio Weber Abramo, da Transparência Brasil.

Já deu A cúpula do Pros foi convocada às pressas ao Ceará na última quarta-feira para uma conversa com Cid Gomes. O governador disse que compreendia a insatisfação da bancada com o governo e sua participação no “blocão” da Câmara, mas ponderou que era hora de voltar a apoiar o governo.

Drible Jovair Arantes, líder do PTB na Câmara, reagiu com irritação ao saber que Aloizio Mercadante (Casa Civil) pediu ajuda ao senador Gim Argello (PTB-DF) para evitar que os deputados do partido votassem contra o governo no auge da rebelião.

TIROTEIO

Os novos indícios vistos pelo Cade mostram que o PT adota como cartilha a velha tática de bater a carteira e gritar ‘pega ladrão’.

DE CARLOS BEZERRA, líder do PSDB na Assembleia de SP, sobre o órgão do Ministério da Justiça ter apontado que o cartel de trens atuou na esfera federal.

 

CONTRAPONTO

Escolinha do Barulho

O deputado Chico Alencar (PSOL-RJ) tinha a palavra durante reunião da comissão de Educação da Câmara em julho do ano passado, em meio aos protestos de rua que tomaram o país. Durante a explanação, foi interrompido por colegas que mantinham conversas paralelas.

O presidente, Gabriel Chalita (PMDB-SP), advertiu:

– Vamos ouvir o deputado, por gentileza.

Alencar retribuiu, provocando risos:

-Temos o hábito de fazer umas dez reuniões em uma só. Estamos em consonância com as ruas: cada indivíduo tem sua manifestação própria.