Em meio à crise na base, Mercadante dá ‘cano’ no príncipe das Astúrias

Por Vera Magalhães
O príncipe das Astúrias, Dom Filipe João Paulo Afonso de Todos os Santos de Bourbon e Grécia, durante almoço ao qual Mercadante faltou (Foto Foto: J. Duran Machfee/Futura Press/Folhapress)
O príncipe das Astúrias, Dom Filipe João Paulo Afonso de Todos os Santos de Bourbon e Grécia, durante almoço ao qual Mercadante faltou (Foto Foto: J. Duran Machfee/Futura Press/Folhapress)

Convocado pela presidente Dilma Rousseff para mais uma vez tentar conter a crise na base aliada, o ministro da Casa Civil, Aloizio Mercadante, não compareceu a um sofisticado almoço, nesta quarta-feira (12) em São Paulo, para recepcionar Dom Filipe João Paulo Afonso de Todos os Santos de Bourbon e Grécia, Príncipe das Astúrias e herdeiro da Coroa espanhola.

Pouco antes das 13 horas, a comitiva Real ainda não havia sido comunicada sobre a ausência do ministro e posicionava os cerca de 50 convidados em um salão do restaurante Figueira Rubaiyat, no bairro dos Jardins, para aguardar a chegada das autoridades, relata a repórter Marina Dias.

Quando recebeu a informação da reportagem da Folha de que Mercadante não compareceria ao evento, Javier Molina Martínez, chefe de imprensa da Embaixada da Espanha no Brasil, desabafou: “Podia ter feito um esforço, né?”.

Entre os convidados, estavam o prefeito da capital paulista, Fernando Haddad, o presidente da CBF (Confederação Brasileiro de Futebol), José Maria Marin, e o ministro da Educação, José Henrique Paim.

Foi ele inclusive que, depois de desfrutar de muitos salgadinhos que eram servidos de antepasto, saiu em defesa do colega de Esplanada e ex-chefe no MEC durante um rápido discurso: “O ministro Aloizio Mercadante não conseguiu vir porque foi chamado pela presidente Dilma para uma missão importante”.

O “cano” no almoço ocorreu horas depois de o governo sofrer uma derrota importante no plenário da Câmara, que aprovou a criação de uma comissão externa para investigar contratos da Petrobras. Mercadante, depois que assumiu a Casa Civil, virou também o responsável pela articulação política do governo.

Nesta quarta-feira (12), o almoço de clima ameno foi substituído na agenda oficial do ministro por audiências com líderes do PDT e PTB e, no fim do dia, teria uma longa reunião com a presidente.